Archive for Branding

Cinco dicas essenciais que você precisa saber para fazer negócios no Twitter

Partindo da pergunta “As Redes Sociais são boas para os negócios?”. A resposta depende da forma como você atua: sendo o “vendedor chato”ou procurando entender como elas funcionam e como as pessoas interagem.

A pergunta é natural diante de tantas notícias e reportagens na imprensa sobre quem está se dando bem, principalmente no Twitter, a sensação do momento. E a resposta parece ser clara: quanto mais tempo você demorar para participar das redes sociais, menores serão as chances de explorar todas estas oportunidades.

Isso explica a correria das empresas em entrar nessa nova onda. Afinal, é só acompanhar algumas estatísticas: o número de usuários do Twitter aumentou 1600% entre julho de 2008 e 2009, sendo que os brasileiros são os que passam mais tempo “tuitando” (cerca de 41,5 minutos por mês de acordo com pesquisa da ComScore). Somente em São Paulo, 45% da população já participa de alguma rede social, índice que aumenta para 75% entre os jovens entre 18 e 24 anos (Ibope Mídia). Nas empresas, segundo estudo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (NTT/URFJ), 74% dos pesquisados planejam participar das mídias sociais nos próximos 12 meses. Diante de números tão promissores, por que não tentar?

Até aí, nada de mais. O problema é quando as empresas, ansiosas por resultados rápidos, colocam “o carro na frente dos bois” (a expressão é tão antiga quanto válida). A mesma pesquisa da URFJ revelou que 49% dos pesquisados já entram nas mídias sociais querendo “faturar” de alguma forma: insistem em oferecer seus produtos nas comunidades, fazem propaganda descarada nos blogs, enviam mensagens comerciais sem permissão. Ou, por outro lado, participam dessas mídias sem propósito definido, simplesmente “por participar”, para fazer parte e ver o que acontece.

A conseqüência: comunicação com conteúdo irrelevante, propaganda demais, foco de menos e, pior, a reação contrária dos internautas, que pode ir da indiferença à indignação. Por estas razões, os índices de sucesso nas redes sociais estão abaixo do que poderiam estar.

Planejando e Implementando Ações

Em vez de escolher o caminho mais rápido, o ideal é trilhar pelo mais seguro. Além de maior potencial para gerar resultados, fazer um planejamento prévio com base no conhecimento das mídias sociais, do perfil do público-alvo e em ações sintonizadas com outras ferramentas de marketing digital também tem menos probabilidade de ser rejeitada. Os principais aspectos a serem levados em conta neste sentido são:

1. Entenda como as mídias sociais funcionam Comunidades, blogs e Twitter possuem uma dinâmica própria, que só são compreendidas quando se faz parte delas. Portanto, antes de delegar a tarefa a terceiros, é essencial que você participe para ter uma noção mais clara sobre as regras de conduta e formas de abordagem mais apropriadas. Uma das primeiras coisas que descobrirá, por experiência própria, é porque ninguém nesse meio gosta de vendas diretas.

2. Entenda como o seu público-alvo interage – Estude como seus clientes, consumidores ou prospects participam das mídias sociais. Eles a utilizam para conhecer a opinião de outras pessoas sobre o seu produto, para reclamar ou elogiar? Estão interessados em assuntos profissionais ou pessoais? Quais os sites mais freqüentados (Orkut, Facebook, Sonico, MySpace, Via6, Linked In, Plaxo etc.) E se não participam, isso ocorre por falta de tempo, interesse ou dificuldade em acompanhar estas novidades? O que os motivaria a fazer parte de uma rede social?

3. Defina a estratégia – As etapas acima são fundamentais para o passo seguinte, definir a estratégia de atuação, que pode se dar em três níveis principais: canais relacionamento (atendimento a reclamações, esclarecimento de dúvidas, interação com clientes e consumidores), comunicação (divulgação de lançamentos ou atualizações de produtos, informações práticas) ou campanhas de fidelização (promoções exclusivas para quem participa ou segue em suas comunidades, blogs ou Twitter). Independente da escolha, é essencial atuar de forma integrada a outras iniciativas de marketing utilizadas pela empresa, sejam online (website, e-mail marketing, links patrocinados, banners) ou offline (an&ua cute;ncios, mala direta, assessoria de imprensa etc.)

4. Crie um diferencial – Só participar não é o bastante. É preciso participar de forma diferenciada. Seja por meio de conteúdo exclusivo, promoções especiais ou atendimento personalizado. É a melhor maneira de conquistar atenção, fidelidade do público e, principalmente, fazer com que as suas iniciativas sejam divulgadas pelos próprios participantes por meio do boca a boca.

5. Tenha objetivos claros e mensure os resultados – Uma das grandes vantagens do marketing digital é dispor de recursos que permitem mensurar os resultados das mais diversas formas. Use isso a seu favor, estabelecendo objetivos e metas claros para cada mídia social. Uma dica para facilitar a tarefa é canalizar as ações das mídias sociais no site da empresa. Por exemplo, em uma promoção pelo Twitter, faça com que os internautas tenham de visitar o site para conhecer as regras ou os prêmios. Dessa forma, é possível mensurar em detalhes a audiência (região de proveniência dos visitantes, duração) e o tráfego (páginas mais visitas) do site e relacioná-los com a receptividade da campanha. É também uma forma dos internautas conhecerem mais sobre a sua empresa e outros produtos oferecidos.

Fonte: Maxpress

Leave a comment »

10 erros comuns na criação de logotipos

Hoje, mais do que nunca, a identidade visual de uma empresa é valorizada. É importante para uma empresa ou um site comunicar-se bem e ser bem vista. A principal maneira de reconhecer e se identificar com uma é o seu logo.  Abaixo, mostramos 10 erros comuns que você deve evitar se quiser criar um logotipo bem sucedido e profissional.

1. Design feito por um amador

10-erros-1

Uma empresa profissional deve ter um visual profissional. Novos empresários, muitas vezes investem muito tempo e dinheiro em bens e equipamentos, mas não fazem o mesmo com  seu logotipo.

Aqui estão as razões mais comuns pelas quais muitos logos parecem amadores:

  • O empresário queria economizar dinheiro, projetando o logotipo com rapidez.
  • Um favor de algum amigo ou parente que afirma conhecer um pouco sobre design gráfico.
  • São encomendados com pessoas erradas.
  • Terceirizando o trabalho através de um design de sites diversos da concorrência, que são majoritariamente habitados por designers amadores.
  • O trabalho foi dado a uma empresa online que oferece logotipos realmente baratos.

Todas as opções acima podem levar a resultados desastrosos. Se o seu logotipo parecer amador, então assim será o seu negócio. Uma empresa deve saber onde procurar quando quer um novo logotipo.

Aqui estão as vantagens de contratar um designer profissional para criar seus logotipos:

  • Seu logo será único e memorável.
  • Você não vai correr em quaisquer problemas na linha de reprodução com ele.
  • Seu logo terá uma vida útil mais longa e não precisa ser redesenhado dentro de alguns anos.
  • Seu logo vai ser profissional.

2. Prender-se demais às tendências

10-erros-2

Tendências (se brilhos, chanfros ou outros) vem e vão até que, finalmente, transformar-se em clichês. Um bem concebido logo deve ser atemporal, e isto pode ser conseguido ignorando os truques mais recentes. O maior clichê no projeto do logotipo é usar essas linhas em volta do logo. Como designer de um logo, seu trabalho é criar uma identidade única para o seu cliente, ignorando completamente, ou o máximo possível, as tendências no projeto do logo.

O site Logolounge tem uma grande seção em que atualiza as tendências atuais de design de logotipo a cada ano. É importante conhecer a última “moda” , principalmente para que você possa evitá-las a todo custo.

3. Usar Imagens Rasterizadas

10-erros-3

É prática  comum  a utilização de software de gráficos vetoriais, como o Adobe Illustrator ou Corel Draw na criação de logotipos. Uma imagem vetorial é composta de pontos matematicamente precisos, o que garante a consistência visual através de vários tamanhos. A alternativa, claro, é o uso de softwares gráficos rasterizados, como o Adobe Photoshop. Um gráfico bitmap é composta de pixels.

Usar imagens rasterizadas para logotipos não é aconselhável porque pode causar problemas de reprodução. Enquanto o Photoshop é capaz de criar logos muito grande, você nunca sabe ao certo o quão grande você terá que reproduzir o seu logotipo em determinado momento. Se você aumenta o zoom ou o tamanho da imagem ele será exibido pixelizada, tornando-o inutilizável. Manter uma coerência visual do logotipo é essencial para uma empresa.

As principais vantagens dos gráficos de vetor para o desenho da logomarca são:

  • O logotipo pode ser redimensionada em qualquer tamanho sem perder qualidade.
  • A edição do logotipo, mais tarde, é muito mais fácil.
  • Pode ser adaptado para outras mídias mais facilmente do que uma imagem raster.

4. Usar Bancos de Imagens na criação do logo

10-erros-4

Este erro é geralmente feito por donos de empresas que projetam seu próprio logotipo ou por designers amadores que não possuem conhecimento sobre as leis de direitos autorais. Baixar imagens de Banco de vetores como vectorstock não é um crime, mas ele pode começar a ser um problema se você incorporá-lo em um logotipo.

Um logotipo deve ser único e original. Há chances, se você estiver usando uma imagem do vetor destes sites, de outra pessoas no mundo também estar. Logo, a sua marca já não é única. Você pode muito facilmente detectar vetores prontos em logotipos porque eles geralmente possuem formas familiares, tais como globos e silhuetas.

5. Projetando a sua identidade no logo, no lugar da do cliente

10-erros-5

A causa desse erro é geralmente o ego enorme do designer. Se você tiver encontrado uma nova fonte legal que você não pode esperar para usar em um projeto, bem … pense duas vezes antes de usá-la. Pergunte-se se essa fonte é realmente adequada para o negócio que você está projetando? Por exemplo, uma fonte tipográfica moderna grande que você acabou de se apaixonar pode não ser adequada para um negócio sério, como um escritório de advocacia.

Alguns designers também cometem o erro de incluir uma marca em seu trabalho. Mesmo que você esteja orgulhoso pelo seu trabalho, impor a sua personalidade em um logotipo é errado. Fique focado nas necessidades do cliente!

6. Complexo demais!

10-erros-6

Que melhor analogia para imagens em miniatura do que as impressões digitais? Você vai perceber os meandros de suas impressões digitais apenas quando olhar para elas realmente de perto. Assim que você se afasta, esses detalhes são perdidos. O mesmo é válido para logotipo altamente detalhados.

Quando impressas em tamanhos pequenos, um projeto complexo irá perder seus detalhes, e em alguns casos, ficará semelhante a uma mancha, ou pior, a um erro. Quanto mais detalhes um logotipo tem, maior é o número de informações que o espectador deverá processar. Um logotipo deve ser memorável e uma das melhores maneiras para torná-lo memorável é a de manter a simplicidade. Olhe para a identidade corporativa da Nike, McDonald’s e da Apple. Cada empresa tem um ícone muito simples que pode facilmente ser reproduzido e identificado em qualquer tamanho.

7. Depender das cores para passar a mensagem

10-erros-7

Sem cor, o seu grande projeto pode perder a sua identidade. Este é um erro muito comum. Alguns designers não podem esperar para adicionar cor a um projeto, e alguns dependem dele completamente. A escolha da cor deve ser a sua última decisão, sendo assim começar o seu trabalho em preto e branco é melhor.

Cada proprietário do negócio terá de mostrar o seu logotipo em apenas uma cor pelo menos uma vez na vida, de modo que o designer deve testar para ver se isso afetaria a identidade do logotipo. Se você usar a cor para ajudar a distinguir determinados elementos no design, então o logotipo ficará completamente diferente em um tom.

8. Escolher fontes pobres

10-erros-8

Quando se trata de finalização de um logotipo, a escolha da fonte correta é a decisão mais importante que um designer pode fazer. Uma falha por causa de uma má escolha da fonte pode ser desastroza, acabando com o trabalho (o nosso exemplo mostra a infame Comic Sans).

Encontrar a fonte perfeita para seu projeto é achar o tipo de letra que combine com o estilo do ícone. Mas isto pode ser muito complicado. Se estiverem muito próximos, o ícone da fonte e vão competir uns com os outros pela atenção, se o contrário, muito distantes, então o espectador não sabe para onde olhar. A chave é encontrar o equilíbrio certo, em algum lugar no meio. Cada fonte tem uma personalidade. Se a fonte que você escolheu não reflete as características do logotipo, então toda a mensagem da marca será ignorada.

Fontes ruins muitas vezes são escolhidas simplesmente porque essa decisão não é levada a sério.

9. Usar muitos tipos de fontes

10-erros-9

Usando muitas fontes, é como tentar mostrar a alguém um álbum inteiro de uma vez. Cada tipo é diferente, e o espectador precisa de tempo para reconhecê-lo. Vendo muitos de uma só vez, irá se confundir.

Usar um máximo de duas fontes de pesos diferentes é prática padrão. Limitar o número de fontes para este número aumenta significativamente a legibilidade de um projeto do logotipo e melhora o reconhecimento da marca.

10. Copiar logotipos

Este é o maior erro de um designer de logos de todos e, infelizmente, é cada vez mais comum. Conforme mencionado, o propósito de um logotipo é representar um negócio. Se ele tem a mesma aparência de alguém, ele não cumpriu a sua função. Ninguém ganha com a copia! Nem o cliente e muito menos o designer.

Fonte: JBTutos

Comments (1) »